São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

CRIME ORGANIZADO. Camorra pronta para matar Roberto Saviano, autor do bestseller Gomorra.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 16 de outubro de 2008.

foto La Repubblica: Roberto Saviano ontem, no programa televisivo Matrix.



Gomorra é apontado como o filme que poderá levar o próximo Oscar, na categoria reservada à chamada produção estrangeira.


O filme é baseado no livro-bestseller que leva o título de Gomorra, do jornalista italiano Roberto Saviano. Referido livro já foi traduzido e está disponível em 42 países, em especial em todos os países do Primeiro Mundo. No Brasil, até agora, nada.


Saviano infiltrou-se na Camorra napolitano e mostrou a impressionante atuação transnacional dessa potente organização criminosa. No meu modesto livro, A Criminalidade dos Potentes, escrevi sobre o livro de Saviano, num artigo intitulado “A Camorra faz a Moda”. Aliás, trata-se do primeiro artigo do livro. Lógico, estive em Casal di Príncipe, capital mundial da contrafação, e entrevistei o velho Schiavone, pai do “capo casalesi” (chefe camorrista de Casal di Príncipe), Francesco Schiavone, que é apelidado de Sandokan.


Pois bem, hoje os jornais italianos e os canais televisivos informam sobre uma ordem, via fax, para os camorristas matarem Saviano. O jornal mais lido na Itália, La Repubblica, informa que o líder dos casaleses, Francesco “Sandokan” Schiavone, preso no cárcere de Opera em regime do artigo 41, bis, do Código Penitenciário (regime de cárcere duro), enviara um fax ao seu advogado no qual, sem nunca nominá-lo, mira em Saviano”.


O texto contido no fax e o seguinte: “Esse romancista que se faz de portavoz de não sei quem, deve parar de fazer ilações caluniosas, falsas, sobre a minha pessoa, não apenas nas entrevistas que concede, ---que depois são estampadas no jornal La Repubblica, lido por milhões de pessoas---, mas, também naqueles pronunciamentos onde me coloca como parceiro de pessoas que nunca as conheci”.


No dia anterior à divulgação do fax, o colaborador de Justiça, Carmine Schiavano (não confundir com o Schiavone autor do texto do fax) tinha declarado aos magistrados inquirentes que já havia ordem para matar Saviano.


Ontem à noite, no programa televisivo Matrix, de altíssima audiência, Saviano, que tem menos de 30 anos de idade, foi entrevistado e declarou que, diante da situação de risco, irá sair da Itália para trabalhar como jornalista-correspondente e escritor em outro país. Disse que quer viver sem risco como todos os cidadãos, constituir família, etc. Mas, depois de Gamorra, isso tornou-se impossível na Itália.


PANO RÁPIDO. Vida longa a Roberto Saviano, corajoso jornalista e autor de um livro-denúncia extraordinário. Frise-se, que não é um romance, como, espertamente, escreveu o capo camorrista Sandokan.

--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet