São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

DROGA: as últimas considerações do czar da Casa Branca. Alguém acredita?

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 13 de outubro de 2008.


O desprestigiado czar antidrogas da Casa Branca, Jhon Walters, está realizando a sua última em visita à Colômbia. Numa entrevista em Bogotá, Walters resolveu, sem mostrar as fontes e os métodos de avaliação, anunciar que a produção da cocaína, comparado com o ano de 2001 , caiu em 24% e a qualidade (pureza) diminuiu.


Por que Walters faz comparação com 2001 ? É que segundo o czar, a produção em 2001 foi recorde, ou seja, atingiu a 900 toneladas.


Sempre atrapalhado e a querer atribuir sucesso ao inexitoso Plan Colômbia, Walters afirmou que a produção de 2007 de cocaína foi de 600 toneladas, isto graças as erradicações manuais, os derrames de herbicidas e as apreensões.


Nada disse Walters sobre o plantio de coca na região Andina que, conforme fotografias por satélite, continua do mesmo tamanho. Além disso, o “Plan Colombia” previa a total erradicação da folha de coca e as áreas migraram para os Parques nacionais, a região de floresta e os países vizinhos. Fora isso, o derrame de herbicidas, por aviões da americana Dyn Corp, produziram danos ecológicos irreversíveis.


Sem atentar para Camões, -- que frisou ser vitupério elogio em boca-prória--, Walters afirmou que foi um absoluto sucesso a gestão da Casa Branca no combate as drogas, em especial na Colômbia.


Como não poderia perder a última viagem, Walters atacou o presidente venezuelado Chavez, pela falta de cooperação. Para Walters, que fala sem mostrar dados, a passagem de cocaína colombiana por território venezuelano quadruplicou desde 2004 e alcança 282 toneladas por ano.


PANO RÁPIDO. Livrar-se de Bush já é um alívio. Quando se imagina que cairá fora também Walters, -- no caso de vitória de Obama--, o alívio fica bem maior.

--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet