São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

DROGA: vice-ministro colombiano afirma ligação das Farc com Cartéis Mexicanos.

IBGF, 8 de outubro de 2008.


Antes de embarcar para o México a fim de participar da Primeira Reunião Interamericana de Segurança Pública, o vice-ministro colombiano Sergio Jaramillo Caro, encarregada da pasta sobre políticas e relações internacionais do Ministério da Defesa, fez uma revelação surpreendente.


Nenhum dos seus interlocutores mexicanos que participarão do referido encontro sabem algo sobre o afirmado pelo vice-ministro colombiano. Segundo Caro, os narcotraficantes mexicanos mantém ligações diretas com as Farc e realizam compras de cocaína na fronteira entre a Colômbia e o Equador.

Para Caro, as Farc controlam a maior parte das zonas de produção de cocaína na Colômbia. Por isso, entende ele, os narcotraficantes necessitam manter contatos com as Farc. “Não tenho dúvida a respeito da co-relação”, destacou Caro, antes de embarcar para o México.


O encontro no México reunirá representantes de 34 países e a promoção é da Organização dos Estados Americanos (OEA).


PANO RÁPIDO. O vice-ministro Caro não apresentou nenhum documento a sustentar a sua afirmação. Para especialistas, parece que quis chamar a atenção e atrair, para quando desembarcar no México, a atenção da mídia.


Na Colômbia, uma miríade de “cartelitos” cuidam do refino e da comercialização do cloridrato de cocaína, na Colômbia e fora das suas fronteiras. Cerca de 80% da cocaína presente no mercado consumidor é de origem colombiana.


O governo Uribe, depois de cinco anos de fracasso com o chamado “Plan Colombia”, continua a se mostrar incapaz de reprimir os “cartelitos”, que substituíram os grandes cartéis de Cáli e Medellín.


Não se deve esquecer que o “pib-colombiano” é sensível ao negócio da cocaína. Ou seja, ainda se mantém dependente dessa droga.


--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet