São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Terror no Paquistão: acusada a India.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 22 de setembro de 2008.
Marriott de Islamabad, antes da explosão.


Ahmed Rashid é o maior especialista no fenômeno dos talebans e no fundamentalismo islâmico de matriz alqaedista. Sobre a tragédia de sábado em Islamabad (Paquistão), ---onde um camicase, na entrada do estacionamento do requintado hotel Marriot (5 estrelas), acionou 600 kg de dinamite transportada no caminhão que dirigia---, Ahmed Rashid tem muitas dúvidas, mas uma certeza.


Para esse especialista, a causa do ataque ao Marriot, com 53 mortos, 260 feridos e um diplomata dinamarquês desaparecido, foi uma resposta aos últimos bombardeamentos aéreos realizados pelos norte-americanos na região de fronteira entre o Paquistão e o Afeganistão.


Com a sangrenta resposta, esperam os mandantes do ataque terrorista que o novo governo do recém empossado presidente Asif Zardari (sucedeu o genereal Pervez Musharraf, que renunciou) determine, aos aliados norte-americanos, a suspensão dos bombardeamentos em área tribal e de concentração de fundamentalistas, ou melhor, de talebans.


Interessante observar que o presidente Zardari, duas horas antes do atentado e no Parlamento, criticara violentamente as operações norte-americanas em zona tribal. O novo presidente, no entanto, não deixou de atacar os extremistas islâmicas e destacou sua confiança nos EUA, que é um parceiro.


Na verdade, e como ressaltou o líder da oposição, Nawaz Sharif, o auxílio norte-americano é militar e não ajuda a combater o desemprego, em nada contribuindo para o desenvolvimento econômico do país.


Até a noite de domingo, a suspeita do ataque recaia na Al Qaeda. Na manhã desta segunda feira, falou-se na participação da arqui-inimiga Índia, que, pelos seus 007, teria financiado os talebans, pois a ela interessa a desestabilização paquistanesa.


O serviço secreto do Paquistão, de perfil filo-taleban, prepara informes onde acusa a Índia, que também teria estado por trás do assassinado de Benazir Bhutto, consumado em 27 de dezembro passado.


Voltando ao especialista Ahmed Rashid, acima mencionado, sua conclusão assusta: - “ Nas zonas tribais, a violência se expande e os talebans são mais fortes do que ontem” .
Wálter Fanganiello Maierovitch.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet