São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Geórgia: de Stálin à Ossétia e à Abkhasia.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 11 de agosto de 2008.



Josef Stalin nasceu na Geórgia, na cidade de Gori. Em 25 de fevereiro de 1921, depois de 30 dias de guerra, o exército russo ocupou a Geórgia.

Estava dado o pontapé inicial para o projeto de Stalin, apresentado a Lenin em 1920 (um anos antes da invasão da Geórgia).

O projeto de Stalin consistia na constituição de um estado-federado, onde a Rússia teria o papel de manter a aglutinação e comandar a federação.

Do projeto original, a federação seria composta por Rússia, Ucrânia, Bielorússia e a região “Transcaucasiana”. Essa “federação do Cáucaso a compreender a Geórgia, Armênia, Cazaquistão, Ubequistão, Turcomenistão, Tadjiquistão, Quirguistão.

A implantação do projeto ocorreu entre 1921 e 1936. Sua ampliação deu-se em 1939, com as chamadas “três jóias do Báltico”, ou seja, Estônia, Lituânia e Letônia.

Para Stalin, era fundamental, para a manutenção da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, a existência, dentro das repúblicas, de conflitos étnicos.

Os conflitos étnicos é que dariam legitimação para Moscou, -- sede do poder central--, intervir, inclusive com uso da força armada.

Foi assim, -- graças a Stalin--, que na Geórgia incluiu-se a Ossétia do Sul e a Abkhazia (no final de semana entrou em conflito com a Geórgia). Os conflitos ocorreriam por essas duas etnias nunca suportaram os georgianos.

No fundo, Stalin usou a máxima do imperador Otaviano Augusto, artífice do Império Romano, ou seja, dividir para imperar.

PANO RÁPIDO. O separatismo hoje, numa região com mais de 100 etnias, é conseqüência do projeto de Stalin, um georgiano de nascimento.

Um detalhe, apenas, a Geórgia, agora, não quer a independência da Ossétia do Sul e da Abkhazia. O grande erro do seu presidente, Mksail Saakashvili, segundo apontam os especialistas europeus, é ter mandado invadir a Ossétia, pensando que Putin, em viagem à China para assistir os jogos olímpicos, fosse ficar de braços-cruzados.

Cerca de 90% dos habitantes da Ossétia do Sul adquiriram a nacionalidade russa e rejeitaram a da Geórgia. Com isso, a Rússia diz estar interferindo no conflito em defesa dos seus co-nacionais.

-Wálter Fanganiello Maierovitch—


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet