São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

CASO DANIEL DANTAS: as estratégias e o trator.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 18 de julho de 2008.

foto do Portal Terra.



A encenação do presidente Lula não grudou. A edição da gravação da reunião de segunda-feira passada, voltada a forçar o delegado Protógenes Queiroz a deixar as investigações, só serve para mostrar o poder de influência de Daniel Dantas.

Dantas jogou três cartadas. As duas primeiras para afastar o delegado Protógenes e o juiz Fausto De Sanctis. A terceira, para manter a decisão da ministra Ellen Gracie.

Por partes. Dantas, por seus defensores, não podia levantar, sob o argumento de falta de imparcialidade, a suspeição do delegado Protógenes. A respeito, a lei processual penal é clara: ““não se poderá opor suspeição às autoridades policiais nos atos do inquérito”. (artigo 107)

Para isso, então, precisava pressionar o governo. Conseguiu e o substituto de Protógenes já está designado. Lula acabou por fazer o papel de laranja de Dantas e recuou ao perceber que coonestava com o crime organizado e a opinião pública reprovava a substituição.

No seu recuo, Lula não titubeou em jogar ao mar Tarso Genro e o diretor-geral da polícia federal, que, na encenação, saiu em férias antes de vir a público a saída de Protógenes.

Paralelamente, Dantas, com apoio na lei processual penal argüiu o impedimento do juiz De Sanctis para prosseguir no processo. Vai utilizar todos os recursos legais para afastá-lo, se De Sanctis não de der por impedido. Dificilmente De Sanctis vai se dar por impedido, pois o fato de decretar prisões temporária e preventiva não implica em parcialidade.

Como o Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal (STF) prevê um remédio chamado reclamação , Dantas já o utilizou. Protocolou, junto ao STF, a reclamação de estar sendo descumprida a decisão da ministra Ellen Gracie, que impediu a abetura de seis discos-rígidos para investigações sobre movimentações do Opportunity Fund. Os discos foram apreendidos em 2004, quando da Operação Chacal.

PANO RÁPIDO. Não se deveria perder o foco do processo criminal e da reclamação. Quanto a Lula, se a situação piorar e a mentira ficar muito feia, ele nomeará Protógenos diretor-geral da polícia federal. Ou será que alguém duvida ?
--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet