São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Questão Amazônica, novidade no site de Gisele Bündchen.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 9 de junho de 2008.

Gisele Bündchen, no seu vestido de água e na luta pela preservação dos recursos hidricos.



Gisele Bünchen e Carla Bruni. Não farei comparações entre as duas.

Também nada de especulações. Tipo se é verdade que Gisele, há pouco, fora flagrada a fazer sexo com o namorado, --o campeão de futebol americano Tom Brady--, numa adega de vinhos de um restaurante de Nova York. Ou, se a Bruni, que acompanhará o marido e presidente Sarkozy numa viagem ao Brasil em dezembro, ficará para passar o Natal com o seu pai, que mora em São Paulo.

Gostaria de dizer, neste modesto blog, que as duas celebridades ocuparam, positivamente, espaços nos jornais franceses e italianos, nas edições de domingo.

A brasileira Gisele foi elogiada por abrir no seu site (http:www.giselebundchen.blogspot.com) um espaço para defender a Amazônia e salvar o rio Xingu.

Gisele vem repetindo uma frase meio besta, a justificar os seus empenhos sociais: - “Se com você a vida foi generosa, você deve ser generoso com os outros”. Conheço várias pessoas sofridas, com vidas marcadas pela tragédia, percurso impiedodo de sofrimentos, que se empenham em ações humanitárias.

Contam alguns jornais que Gisele fora informado pelo então namorado Leonardo di Caprio, que 14 tribos indígenas dependiam para sobreviver das águas do rio Xingu, que estaria morrendo. A partir daí, e pelo fato estar a acontecer no seu Brasil, partiu para a luta.

Com um lucro de US$24 milhões por ano, segundo a revista Forbes, não faltará a Gisele recursos financeiros para alavancar a sua causa pela preservação de recursos hídricos.

A italiana Carla Bruni, nascida na região do Piemonte, ex-modelo e agora cantora, abafou na pesquisa feita na França e publicada no domingo.

Com efeito. Entre os franceses, 68% a aprovam como primeira-dama do país. Mais ainda, 64% dos franceses acham que Bruni representa bem a França no exterior. Para 50% dos ouvidos na pesquisa feita pelo Instituto Focos, e publicada no Jounal du Dimanche, ela exerce uma influência positiva no presidente Nicolas Sarkozy.

A sua condição de atriz e cantora não incomoda os franceses que acham não haver incompatibilidade com a condição de primeira-dama.

O resultado da pesquisa mostra o desprezo dos franceses pelos sensacionalistas italianos que, quando Bruni chegou no Eliseo, publicaram antigas fotos, em trajes sumaríssimos.

--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet