São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Drangheta instala micro-espia na sede do Ministério Público.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 12 de maio de 2008.


Na região da Calábria nasceu uma das quadro potentes máfias italianas, a planetária ´Ndrangheta. As outras são as seguintes: Cosa Nostra (Sicília), Camorra (Campanea-Napoli), Sacra Corona Unita (Puglia.

No ano passado, descobriu-se que a Drangheta realizava vultosos investimentos na bolsa de valores de Frankfurt (Alemanha). E em agosto, na porta de um restaurante na cidade alemã de Duisburg, membros dessa organização mataram violentamente rivais, num trágico acerto de contas banhado a sangue. Descobriu-se, então, que um braço da calabresa Drangheta tinha se estabelecido na Alemanha.

A ´Ndrangheta consegue manter entre os seus membros a lei do silêncio e são poucos, ao contrário da Cosa Nostra e Camorra, os colaboradores de Justiça, a realizar delações premiadas. O segredo foi estabelecer, no interior da Drangheta, casamentos entre parentes. E os vínculos de sangue impedem as delações.

Como regra, as polícias apenas detectam movimentos da Drangheta quando ocorrem conflitos intestinos, ou seja, desacertos entre os chefões e as “famiglie” (grupos) que dirigem com mão de ferro.

No último final de semana, em Reggio Calábria, houve uma segunda varredura na sede do Ministério Público local. Isto porque, há quinze dias, foram descobertas “micro-espias” no gabinete do procurador distrital antimáfia, Nicola Gratteri. E Gratteri apura, com magistrados tedescos, o massacre da cidade alemã de Duisburg, supracitada.

Para surpresa, outra micro-espia foi encontrada, frise-se, quinze dias depois da varredura que detectou a espionagem no gabinete de trabalho do procurador Gratteri. O novo equipamento de espionagem foi, dessa vez, localizado no gabinete do substituto do procurador geral do Ministério Público da Calábria, Francesco Néri.

Segundo revelado, o pequeno equipamento possuía capacidade para gravar conversas a uma distância de até 200 metros. Era alimentado por uma bateria com duração de até dois meses. O teor das gravações não foi revelado, obviamente.

A iniciativa da varredura foi da própria procuradoria Geral, pois, uma semana antes da vistoria, tinham chegado cartas anônimas com ameaças e a revelar informes apenas conhecidos por limitadíssimo número de procuradores.

Pano Rápido. O fenômeno representado pela criminalidade de matriz mafiosa na região meridional italiana é secular. Por isso se sabe que o combate às máfias não pode parar, ainda que se imagine a destruição dessas organizações. A lição vale, no Brasil, para os PCC, Comando Vermelho, etc.

--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet