São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

TERROR INTERNO. Líbano, retrato do conflito. Espença na missão da Liga Árabe.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 11 de maio de 2008.



1.
O papa Bento XVI lançou hoje um apelo para o retorno à paz, no Líbano. O apelo foi feito quando, da sua janela que faz frente à Praça de São Pedro, concedeu benção aos fiéis: - “Deve ser abandonada essa lógica de contraposição agressiva que está a levar o caro País ao irreparável. As instituições e o povo libanês devem optar pela estrada do racional compromisso de frenar as violências e construir um futuro de convivência pacífica”.

É interessante lembrar, à luz das palavras do papa Ratzinger, que no Líbano os católicos estão divididos, pela surpreendente posição do general cristão Michael Aoun, do Partido Patriótico.

Aoun apóia o Hezbollah e o seu xeque xiita Nasrallah. A outra facção cristã está com o governo de Fuad Siniora, sunita e de perfil filo-ocidental.

Para o esperto Nasrallah, o general Aoun é que deve se entender com os cristãos, ou seja, pretende dividir, estabelecendo uma luta entre os próprios cristãos, já em desacordo aberto.

2.
Enquanto o Hezbollah controla a zona oeste de Beirute e o Exército negocia para que cessem as hostilidades, nesta noite de domingo, enquanto são contadas as vítimas, milhares de libaneses, no norte do país colocarem-se em fuga em face do conflito entre o seguidores do Hazbollah e grupos fiéis ao governo de Siniora.

Batalha sangrenta travam, na região montanhosa próxima a Beirut e na zona leste da cidade, drusos e membros do Hezbollah (confira nota abaixo). Os drusos, que na guerra civil (1975-1990) estiveram ao lados dos xiitas do Amal ( o Hezbollah estava nascendo), agora apóiam os sunitas ligados ao premier Fuad Siniora. Wallid Jumbalatt, do partido Socialista, é o líder dos drusos no Parlamento.

3.
O comando do Hezbollah prometeu e está se afastando do centro de Beirute. E o Exército realiza a reocupação, com a saída dos xiitas do Hezbollah. Isso fez atenuar a tensão na cidade.

4.
Hoje no período da manhã verificou-se uma reunião entre ministros de relações Exteriores da Liga Árabe, que pediu o imediato cessar fogo no Líbano.

Amanhã, segunda-feira, emissários da Liga Árabe, guiados pelo secretário Amr Mouss, chegarão a Beirute, mas antes passarão por Damasco. O objetivo é colocar fim no conflito e evitar uma segunda guerra civil.

5.
O ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, advertiu, hoje no final da tarde, que a situação no Líbano é muito grave: -“ Israel deve estar pronta para tudo e deverá seguir, com atenção, o desenvolvimento da situação não só no Líbano, mas na Síria e no Irã.

--Wálter Fanganiello Maierovitch


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet