São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

DROGAS. Organização Mundial de Saúde revela quadro dramático

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 16 de abril de 2008.

Organização Mundial de Saúde.


Mais de 115 milhões de pessoas espalhadas pelo planeta sofrem de distúrbios mentais relacionados ao consumo abusivo de drogas proibidas e de álcool.


Esse dado foi anunciado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), durante um “metting” internacional que terminará na próxima sexta-feira (18 de abril) e reúne representantes de países com populações de baixa e média renda.


O representante da OMS destacou, ainda, que, no mundo, mais de 150 milhões de pessoas sofrem de depressão. Existem mais de 50 milhões de epiléticos, 25 milhões de esquizofrênicos e 24 milhões sofrem de Alzheimer.


Do encontro intitulado “Reforçar os Sistemas de Saúde Mental nos Países de Baixa e Média Renda Pessoal”, participam 15 países pobres, como Albânia, Uganda, Bangladesh e Jamaica. Segundo a OMS, o objetivo do encontro é, --por meio da facilitação da troca de conhecimentos e ciência de boas práticas--, individualizar os instrumentos necessários para desenvolver os sistemas nacionais de saúde mental e possibilitar tratamentos às 400 milhões de pessoas detentoras de distúrbios psíquicos e que não têm acesso aos serviços sanitários. E, na maior parte das vezes, vivem isoladamente.


Para o coordenador desse mencionado encontro pela OMS, Benedetto Saraceno, “ existe uma relação entre pobreza e saúde mental. Ao analisar dados sofre disfunções mentais, Saraceno frisou que “ a pobreza pode ser um fator desencadeante ou um fator de risco para a depressão, o suicídio, o abuso com álcool e drogas ilícitas e o retardo mental. Para outras patologias, a pobreza contribui ao piorar algumas certas condições, como acontece com a esquizofrenia”.


No planeta, sempre consoante a OMS, apenas 9% dos 450 milhões de indivíduos com distúrbios mentais recebe tratamento adequado. O restante, 91%, vive em grande parte nos países pobres.


Pano Rápido. Não consegui saber se o Brasil, pelo ministério da Saúde. mandou representante para esse encontro.


Uma coisa é certa, o quadro apresentado pela OMS, que não conta com dados enviados regularmente, por países da África e da Ásia, é dramático.

--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet