São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Roma terásegundo turno para prefeito.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 15 de abril de 2008.

No Palazzo Chigi, ao lado da imponente coluna do imperador Marco Aurélio e dentro da piazza Colonna, estará Silvio Berlusconi, na presidência do Conselho de Ministros. Berlusconi foi o vencedor candidato a premier da coligação de centro-direita. Pela segunda vez será primeiro ministro.

Rutelli.


No entanto, pouco distante, na Pizza del Campidoglio, projetada pelo gênio de Michelangelo Bonarroti, poderá estar, no comando da prefeitura, um eleito pelo centro-esquerda, Francesco Rutelli, do Partido Demorcrático.

Com 44,3% dos votos, Rutelli irá ao segundo turno. Isto com Gianni Alemanno, candidato apoiado por Berlusconi e que teve 40,7% dos sufrágios.

Segundo turno em eleição para prefeito em Roma nunca foi novidade. O anterior prefeito, Walter Veltroni (agora disputou e perdeu para Berlusconi), ganhou no segundo turno. E o próprio Rutelli, que já foi prefeito e antecedeu Veltroni, venceu no segundo turno.

Sem erro, pode-se afirmar que a esquerda tem, já por tradição, seu ponto de resistência na prefeitura de Roma.

Segundo projeções, Rutelli deverá vencer. Só que o centro-esquerda de Veltroni não quis o apoio da esquerda, representada pelos comunistas, verdes e radicais. E a esquerda, coligada com o infantil e nada político nome de Arcobaleno (Arco-íris), não conseguiu conquistar uma só cadeira no Parlamento. E está “mordida”, porque os democratas de Veltroni, nas duas últimas semanas que antecederam o pleito, pregaram o voto útil, ou seja, contra Berlusconi.

Esse fato poderá fazer com que a esquerda se abstenha de votar em Rutelli. Mas, aí a esquerda vai entregar de bandeja para Berlusconi fazer, em Roma, “barba e cabelo”. Aí, não dá.

--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet