São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Eleições italiana. Berlusconi é uma vergonha.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 13 de abril de 2008.

Oficialmente, 47 milhões de italianos poderão votar hoje e amanhã na Itália. Para o senado, apenas podem votar os com idade igual ou superior a 25 anos, pois considera-se uma responsabilidade maior do cidadão. O número de indecisos será alto, cerca de 25%. Mas a preocupação é com as abstenção, ou seja, com os que não comparecerão para votar.

Rindo de quem ?


Hoje, na abertura das mesas receptoras de voto, em Roma, um eleitor recebeu as cédulas (várias cores: para a câmera é rosa, para o senado amarela. Nas eleições provinciais será verde e nas comunais (municipais) azul). Ele deixou a cabine mordendo e engolindo as cédulas. Além da votação para câmara e senado, ocorrerão, no estado unitário italiano (não é federado como o Brasil) eleições para os presidentes das províncias (o esquivalente aos governadores dos estados), representantes regionais (deputados estaduais), os administradores municipais ( prefeitos das cidades), os conselheiros comunais (vereadores).

A disputa está polarizada entre Walter Veltrone, de centro-esquerda, e Sílvio Berlusconi, de centro-direita e que pode ser definido como uma mistura de Paulo Maluf e Ranan Calheiros.

Pela lei eleitoral, -- chamada de “porcata” (vide “post” abaixo) por óbvios motivos--, a imprensa italiana pode apenas fazer cobertura “light”, ou seja, não divulga nada que possa influenciar o eleitorado. Por isso, quem acessar os sites dos grandes jornais italianos, como o La Repubblica e o Il Corriere della Sera, não encontrará nada de especial ou polêmico.

No entanto, o jornal francês Le Monde, em editorial, conseguiu colocar o dedo na ferida e chamar os italianos ao brio. Se vai adiantar, é outra coisa.



Para o Le Monde, -- e também penso igual--, a vitória do partido de Berlusconi será uma má-notícia para a Itália e para a Europa: “ O retorno de Berlusconi não é uma boa-notícia, nem para a Itália, nem para a Europa. Toda vez que ocupou o palazzo Chigi (nota: duas vezes e o palazzo é ocupado pelo primeiro-ministro), Silvio Berlusconi fez envergonharem-se os seus concidadãos e criou obstáculos a impedir a integração européia. Existe o risco que ocorrerá o mesmo se os italianos, com toda a liberdade, derem-lhe a maioria” (nota: maioria parlamentar)”.

PANO RÁPIDO :Berlusconi envergonha qualquer cidadão do mundo. O presidente honorário do Milão (já espalhou que contratará Ronaldinho gaúcho) e homem mais rico da Itália de maneira pouco transparente, teve o perfil adequadamente traçado pelo Lê Monde.
--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet