São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

DROGA. Alejandro González Iñárritu, premiado diretor de cinema,produz spots para campanha.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 4 de abril de 2008.

Alejandro Gonzáles Iñárritu.


O presidente mexicano Felipe Calderon elegeu, como prioridade do seu governo, a repressão à criminalidade organizada.

Uma criminalidade que se sustenta com o mercado de drogas ilícitas, principal causa geradora da violência e da corrupção naquele país.

Os potentes cartéis mexicanos não só colocam cocaína colombiana e heroína nos EUA, mas são responsáveis pelo aumento do consumo, no México, de cocaína e metanfetaminas entre os jovens.

O consumo por jovens de metanfetaminas, em especial no estado de Montana, está entre os maiores do planeta.

A situação é tão preocupante que o consagrado diretor de cinema mexicano Alejandro Gonzáles Iñárritu resolveu praticar ações cidadãs, lógico, sem remuneração.

Ele entrou na luta contra o consumo abusivo de drogas com o peso de vencedor do festival de Cannes, isto com o filme Babel. Além de ganhador do prêmio Globo de Ouro. E tem, dentre tantos, os sucessos de bilheterias com os premiadíssimos “Amores Perros (1999) e 21 Grams (em língua inglesa), este objeto de consagrador contratado firmado com a Universal Estúdios.

Assustado pelo elevadíssimo consumo de metanfetaminas entre os jovens mexicanos, Alejandro Gonzáles Iñárritu produziu três filmes para uma campanha esclarecedora sobre as sintéticas metanfetaminas.

A campanha é da Meth Project, uma organização não governamental sem finalidade lucrativa.

Os três spots, numa primeira etapa, serão veiculados pela televisão de Montana, estado mexicano de alarmante consumo de metanfetaminas. Cada spot tem a duração de 30 segundos. O slogan é sugestivo: “Tudo isso não é normal”

No primeiro spot, um jovem vitimado por overdose de metanfetamina é deixado à própria sorte, sob olhares indeferentes de outros drogados. O segundo spot mostra jovens mulheres se prostituindo para obter dinheiro para a compra de metanfetaminas, enquanto o terceiro spot apresenta adolescentes do sexo masculino a roubar e furtar para depois adquirirem drogas.

Além de Montana, os spots serão veiculados por todo o México e, também, em estados norte-americanos que fazem fronteira com o México.

Não é a primeira vez que a Meth Project realiza campanhas esclarecedoras e com sucesso representado pela queda de consumo. Segundo o ministério da Saúde do México, em 2005, depois da campanha de alcance nacional da Meth Project, houve, com relação aos jovens, queda de consumo de 45% e, com relação a crimes relacionados com uso e posse de drogas, redução de 62%.

PANO RÁPIDO. O Brasil não investe em campanhas governamentais. Prevalece a falsa crença de que campanhas geram curiosidade por parte de não usuários.
--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet