São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Dalai Lama avisa: quer dialogar com a China, frente-a-frente.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 19 de março de 2008.



Hoje no período vespertino, na residência do Dalai Lama em Dharamsala (Índia), o seu principal colaborador, Tenzin Taklha , convocou jornalistas para declarar que “ Sua Santidade, o Dalai, está a se empenhar para dialogar com os chineses. Quer se encontrar e falar com eles frente- a-frente.”

Para Tenzin Taklha, os chineses não resolverão jamais a questão tibetana com o envio de tropas. E rematou: - “ A única maneira é estabelecer o diálogo e alcançar uma solução que seja de benefício comum”.

Ainda hoje no período da tarde e sempre na sua residência em Dharamsala (Índia), o Dalai Lama recebeu o líder do movimento radical para a independência do Tibet. Na ocasião, o Dalai pediu para que ele convencer os separatistas a não usarem de violência.

Dessa supracitada reunião participou Tsewang Rigzin, líder do Congresso dos jovens tibetanos, e, também, os representantes de radicais tibetanos que pregam o boicote aos jogos olímpicos, que terão início em 8 de agosto próximo. Junto a eles, o Dalai reiterou a eles ser fiel ao princípio da não violência, que orienta todos os budistas, e frisou, mais uma vez, ser favorável a um Tibet culturalmente autônomo de Pequim.

Pano Rápido. A autoridade do Dalai Lama vem sendo permanentemente contestada pelos secessionistas e, desde a revolta ocorrida na Birmânia, muitos monges, a seguir o exemplo, tomam posições políticas e saem às ruas para manifestações voltadas à independência do Tibet.

A melhor notícia do dia veio de Lhasa. Nessa cidade chinesa, -- considerada a capital tibetana e onde no dia 10 passado começaram os protestos e ocorreram os massacres--, o dia de hoje transcorreu calmo, sem nenhum incidente.

-Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet