São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

DROGAS. Venezuela x Colômbia. General e chefe da polícia colombiana acusado de tráfico de cocaína.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 4 de março de 2008.

O “troco” veio rápido. Menos de 24 horas da acusação feita pelo chefe de polícia da Colômbia, general Oscar Naranjo.

Oscar Naranjo, general chefe da polícia colombiana.


Só para lembrar. Partiu do general Naranjo a denúncia de um presumido financiamento de US$300 milhões de Chavez às FARC.

Segundo Naranjo, tal informe consta da memória de computador apreendido, no sábado passado, depois do bombardeamento a acampamento das FARC e que resultou na morte do comandante Raúl Reyes (segundo na hierarquia), no Equador e próximo às margens do Rio Puttomayo.

Coube ao ministro do interior (defesa interna) venezuelano, Ramon Rodriguez Chacin, refutar Naranjo, chamado de “mentiroso” e acusá-lo de traficar cocaína.

Frisou o ministro venezuelano do interior que no mês de fevereiro passado, na cidade de Mérida (Golfo do México-Atântico), foi assassinado o potente narco-colombiano Wilmer Varela. A polícia venezuelana logrou apreender o seu computador pessoal. Na memória do computador de Wilmer Varela, segundo o ministro venezuelano Ramon Rodriguez Chacin, existem informações que apontam o envolvimeneto do general Naranjo com o narcotráfico: -“Temos importantes informações de narcotraficantes que implicam o general Oscar Naranjo no tráfico de cocaína”.

Como se percebe, o conflito está difícil de ser aplacado. E é difícil acreditar que a apagada e desacreditada Organização dos Estados Americanos (OEA) consiga arrefecer os ânimos entre o belicoso Uribe, fâmulo de Bush, e o verborrágico Chavez, que não deve esquecer ter Simon Bolívar morrido na Colômbia. --Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet