São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

TERROR. Naomi Campbel faz Chavez esquecer do fiasco com as FARC.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 8 de janeiro de 2008.





-“O senhor apareceria com o dorso nu, como o presidente Putin”?

-“Por que não ? Quer testar a minha musculatura” ?

-“Que coisa faria se não fosse o presidente” ? -“Seria um cantor latino”.

Pelo que se sabia, a modelo Naomi Campbell, apelidada de Vênus Negra, tinha ido pegar um sol nas praias venezuelanas, para fugir ao inverno europeu.

Mas, não era bem isso. A top-model Naomi foi contratada pela revista britâncica GQ para realizar entrevistas com celebridades. E o primeiro da lista era Chavez, ainda um pouco acabrunhado depois do estelionado passado pelas FARC, no recente caso da frustrada troca de reféns.

Para a entrevista, Naomi apresentou-se, como sempre, maravilhosa e sensual: vestido branco com corte que deixava mostrar as costas e as pernas, estas quando cruzadas.

Chavez dedicou dois dias à Naomi e derramou-se em gentilezas e considerações. Ficou radiante ao saber que era o primeiro a ser por ela entrevisto. E exultou em saber que Naomi, depois de Chavez, entrevistará, -- como enviada especial-- Lewis Hamilton, piloto da Fórmula Um, e Fidel Castro.

Evidentemente, não faltaram perguntas usuais sobre o que Chavez achava do presidente George W.Bush e da sua equipe:
-“É completamente maluco”. - “E a Condoleeza Rice”? -“É a secretária de Estado de um governo genocida”. -“E Fidel Castro”? -“É o líder mais elegante do mundo, com aquele uniforme sempre impecável, o coturno brilhante e a barba perfeita”.
Concluída e revelada a razão da presença de Naomi na Venezuela, passou ela a ser assediada por jornalistas de todo o mundo. Queriam saber da sua impressão pessoal sobre Chavez. Em síntese, ela virou notícia.

Sem as costumeiras crises de agressividade ( já distribuiu tesouradas em desafetas), Naomi disse que não lhe competia julgar Chavez, mas entrevistá-lo. Mais, que ele lhe passara a impressão de ser “Anjo Rebelde”. Para rematar, disse que tinha estado na Venezuela há 10 anos e o país, agora, está bem melhor.

PANO RÁPIDO. Para Chavez, --que era alvo de críticas pela sua postura parcial em favor das FARC e pela condução de uma impostura preparada pelos insurgentes--, a entrevista com Naomi caiu do seu. Ergueu o seu ego. Hoje, ele ocupou espaços das mídias européias. Só que a protagonista acabou sendo a top-model Naomi, na sua nova atividade de “enviada especial” da revista GQ.
Wálter Fanganiello Maierovitch.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet