São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

DROGAS: Guerra às drogas fracassa no Mèxico.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 7 de janeiro de 2008.

Em 1998 fui convidado pelas NaçõesUnidas a acompanhar, como observador, a Assembléia Especial das Nações Unidas dedicada ao fenômeno das drogas ilícitas.

Dessa assembléia saiu, por influência norte-americana, um mote, aprovado por unanimidade pelos estados-membros presentes. O slogan era o seguinte: UM MUNDO LIVRE DE DROGAS PODEMOS CONSEGUIR.

Na ocasião, no café do Palácio de Vidros (sede da ONU), conversei com vários estudiosos, da chamada linha progressista, porque o mote era falso. Bastava olhar a história. Isto para perceber que era mera utopia conceber um mundo sem uso de drogas. Uma breve consulta ao historiador Heródoto resolveria.

Em síntese, mais uma vez os campeões mundiais de consumo, --naquela oportunidade sob o comando do presidente Bill Clinton (discursou na Assembléia)--, convenceram os demais estados-membros, incluído o Brasil , da possibilidade de um mundo livre das drogas.

Na véspera dos 10 anos da referida assembléia-especial, os EUA continuam a liderar o consumo. A economia movimentada pelas drogas cresceu e, num quadro planetário, a oferta explodiu em face do aumento da demanda.

A fórmula fracassada das Nações Unidas para o tal “mundo sem drogas” era, fundamentalmente, a repressão policial, a eliminação de cultivos ( por exemplo o “Plan Colômbia” e o boliviano Plano Dignidade), a troca internacional de informações, a responsabilidade compartilhada entre países, e imposição de penas pesadas aos consumidores.

Por que voltei a lembrar da referida Assembléia Especial, prestes a completar 10 anos ? É que o México acaba de divulgar o balanço dos últimos dez anos de combate as drogas. Um fracasso total.

Seguem alguns dados, que dispensam comentários:

.50% de aumento de consumo de drogas entre os mexicanos.

.os mexicanos ultrapassaram os colombianos na introdução de cocaína, maconha e heroína, em território norte-americano.

.entre os anos 2000 e 2007, morreram 11.800 pessoas em conflitos ligados às drogas, morreram, entre 2000 e 2007.

.nos últimos dez anos, foram presas 90 mil pessoas acusadas por narcotráfico. Foram encarcerados 40 grossos chefões de cartéis mexicanos.

Se o internauta quiser mais dados sobre o fracasso mexicano, -- e o atual “Plan México” obedece a linha da guerra às drogas (igual do governador Sérgio Cabral)---, fique a vontade para solicitar.
Wálter Fanganiello Maierovitch.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet