São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

O papa Bento XVI faz milagres ?

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 27 outubro 2007.



Quando morreu o papa João Paulo II, no mundo secular Woytila, a frase mais repetida era que o novo, Bento XVI, não teria o carisma e o incrível poder mobilizador do antecessor.

Numa síntese, a Igreja não ganharia fiéis, perderia em visitas ao Vaticano, em especial entre os jovens, que se encantavam com Woytila.

Ratzinger passava a imagem de teórico frio, disposto a resgatar ultrapassados valores da Igreja inquisitorial e não progredir um milímetros em termos de aberturas.

O pontificiado de Bento XVI começou em 19 de abril de 2005 e a morte do debilitado e heróico Woytila consumou-se em 2 de abril do mesmo ano de 2005.

Antigo comandante do temível órgão de fiscalização e de difusão da fé católica, a Propaganda Fide (antigo Santo Ofício de triste memória ) , o alemão Ratzinger afinou-se com Woytila nas questões de fé, encíclicas, alocuções, etc.

No velho e majestoso palazzo Propaganda Fide , vizinho à praça de Spagna, Ratzinger fez suas perseguições, em especial aos progressista e os seguidores da chamada Teologia da Libertação.

Logo no começo do pontificiado, Ratzinger criou problemas com os islâmicos. Teve que se desculpar e arranjar a saída de que ministrava uma aula, ou seja, falava como professor (não como papa) e mencionava fatos históricos reais e não posições pessoais ou pontifícias.

Bom. Numa enquête,seguramente, ninguém marcaria como certa a opção de que Ratzinger conseguiu aumentar em 20% o fluxo do “turismo de fé em Roma . E não são apenas peregrinos alemães que levaram a isso: muitos jovens continuam a se interessar pela chamada Roma Católica .

O levantamento foi realizado pela empresa Brevivet, a maior operadora mundial dedicada ao turismo católico.

De uma paróquia de Roma, um velho padre que conheço e me relaciono, sempre irônico, ranzinza e glutão, acabou, via telefonema por internet (uma preferência de bolso) deixando escapar duas confidências:
1. –“Tem um padre que quer impedir, no horário de missa, a visita de turistas à igreja onde está “Mosè” (Moysés), a célebre escultura elaborada por Michelangelo em 1505, em mármore de Carrara. Já foi aconselhado a desistir da idéia, até porque tem celebração de missa permanente”.

2 –“Como ninguém pode mandar em Ratzinger, deixa ele ficar se encanando com o aumento do fluxo de turista. Basta ele ver as filas de turistas que vão rezar no túmulo de Woytila (os religiosos preferem o nome secular quando o papa já morreu), para constatar a verdadeira causa do aumento do turismo católico a Roma”.


No papo telefônico com o padre-amigo, que é uma autoridade em “história da Arte”: não esqueça de trazer os ingredientes da feijoada (referia-se à carne-seca e farinha). Como você prefere a pasta, deixa comigo ela, o molho e o vinho. Pena que é proibido colocar uns limões camuflados na mala, pois caipirinha com limão daqui não dá, estraga tudo.
Diálogo final.
Prete: - E quello Palestra (Palmeiras), continua un stronzo (uma merda). Ce lo vedo per la televisione.
WFM: No, è il second nella classifica.
Prete: Povero cálcio brasiliano.
WFM: È vero. Walter Fanganiello Maierovitch.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet