São Paulo,  
Busca:   

 

 

Cultura

 

CASAMENTO GAY. Senado derruba emenda de Bush.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF,8 junho de 2006.

Nova derrota de Bush. A sua proposta de emenda constitucional, --para constrar expressamente que matrimônio consiste apenas na união entre homem e mulher--, não passou pelo Senado. Foi rejeitada por 49 votos contra 48. Para que passasse a emenda no Senado, seriam necessários 60 votos.

....................................

.....................................
RETROSPECTIVA

IBGF,6 junho 2006.




OLHO.

Em menos de três dias e pela segunda vez, Bush pediu ao Congresso para aprovar uma emenda à Constituição que reconheça como matrimônio apenas a união entre homem e mulher.
Nos EUA, o primeiro casamento gay ocorreu em 7 de maio de 2003, em Boston.
No estado de Massachusets, desde 2003, a Justiça declarou que a proibição à união gay é discriminatória e, portanto, inconstitucional. Massachusets foi o primeiro estado a permitir aos gays contrair matrimônio.

MATÉRIA.

Obsessão ou devio de foco? Essa é a pergunta, ainda sem reposta, em face da insistência de Bush na emenda à Constituição para se proibir, de vez, os matrimônios gays.

Com os massacres promovido pelos soldados norte-americanos nas cidades iraquianas de Haditha (24 civis inocentes mortos) e Ishaqi (11 civis massacrados e dentre eles 4 crianças, 4 mulheres e um bebê de 6 meses) e com a questão nuclear fervendo com o Irã, o presidente Bush pode estar desviando o foco e usando, para distrair os americanos, a polêmica questão do casamento entre homossexuais.

Além disso, o aumento no preço da gasolina e as eleições parlamentares marcadas para novembro próximo (2006), podem estar conduzindo, também, Bush a buscar, ainda que velho, temas polêmicos. Desta vez, Bush pegou pesado e, evidentemente, desagradou os progressistas, que também votam. Para o reacionário Bush, a emenda dará proteção à família, tirará as interpretações casuístas dos juízes "restituirá o poder aos cidadãos".

Em recentíssimmo levantamento realizado pela CNN-TV, 50% dos eleitores votaram contra a união entre gays e 47% foram favoráveis.

A questão não é nova e convém lembrar que Bush, quando candidato à reeleição presidencial, conseguiu os votos dos evangélicos e "neocon" (novos conservadores) com o seu "não aos matrimônios gays".

No momento, Bush culpa os juízes, que chama de "magistrados ativistas" da questão gay. Secundo Bush, os EUA precisam de uma emenda à Constituição e isso para evitar que os juízes e Tribunais continuem a fundamentar as susas decisões em leis estaduais. Com uma Constituição clara, os juízes seriam obrigados a decidir de acordo com a Constituição, ou seja, a Lei maior.

Para ter idéia, o Parlamento do estado da Califórnia, em 6 de setembro de 2005, aprovou uma lei que autoriza o casamento entre gays. Para entrar em vigor, a lei precisa ser sancionada pelo governador Schwarzenegger, que não é favorável ao matrimônio entre pessoas do mesmo sexo.

Enquanto isso, em Massachusets, desde 2003, permanece a decisão judiciária que considera a proibição do casamento entre pessoas do mesmo sexo uma discriminação odiosa, que afronta à Constituição. A propósito, Massachusets foi o primeiro estado norte-americano a permitir aos gays contrair matrimônio.

Nos EUA, o primeiro casamento gay oficial ocorreu no dia 7 de maio de 2004, em Boston.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet