São Paulo,  
Busca:   

 

 

Cultura

 

SUBSTITUÍDOS: começaram a ser substituídos os outdoors polêmicos del Oliviero Toscani.

Por IBGF/WFM



Olho
Os primeiros outdoors da campanha já atingiram o objetivo: polêmicas sem fim. Agora estão sendo substituídos, conforme sugeriu o conselho de fiscalização da propaganda italiana. O fotógrafo Oliviero Toscani já vestiu com roupas da Benetton os filhos dos chefes mafiosos. Também usou como modelos condenados à morte nas prisões, jovens vítimas de guerras e soros positivos. Juntou crianças de peles negras, brancas e amarelas com vivíssimas cores da Benetton, na célebre United Collors. Agora, para uma empresa de roupas masculinas, usa gays como modelos e em cenas picantes. O Instituto de Auto Disciplina de Propaganda recomendou a substitução das fotos dos outdooors (6x3) espalhados por toda a Itália.
.


Retrospectiva

Como todo artista genial, Oliviero Toscani (milanês nascido em 1942) entrou numa nova polêmica.

Depois de trabalhar 18 anos para a Benetton, alavancar as suas vendas e torná-la conhecida em todos os cantos do planeta, Toscani voltou às principais páginas dos jornais, em face do seu novo trabalho.

A propósito, não há quem não lembre das crianças,-- negras, amarelas e brancas de pele--, unidas e vestidas com as roupas coloridíssimas da Benetton. O sucesso foi tamanho que a própria Benetton passou a usar como slogan a United Collors.

Na Sicília da máfia, Toscani vestiu com Benetton os filhos de grandes chefes da criminalidade organizada. A modelo de destaque foi de Totó Riina, conhecido como “capi dei capi mafiosi” (chefe dos chefes mafiosos).

Sob as lentes das câmaras fotográficas de Toscani, e como modelos da Benetton, foram fotografados presos condenados à morte, soros positivos, jovens vítimas de guerras, etc.

.


Como produtor publicitário e fotografo de arte e de moda, Toscani sempre preferiu pessoas comuns como modelos. Desprezou os modelos profissionais e famosos.

Agora, o novo e polêmico trabalho de Toscani foi para uma empresa italiana de roupas masculinas. E pela Itália, Toscani colocou em gigantescos outdoors (6x3) fotografias de gays em namoro, todos com impecáveis roupas masculinas.

Os casais homossessuais aparecem em cenas picantes. Numa delas, os homens se beijam deitados num sofá preto. No braço do sofá encontra-se um cachorro branco, totalmente indiferente à cena de amor protagonizadas pelos gays.

Num outro outdoor, um dos homens de calça clara e blusa de lã vermelha é tocado pelo companheiro gay, em parte íntima e particularmente ativa do seu corpo masculino.

Devido a protestos e reclamações, o Instituto Italiano de Autodisciplina de Propaganda (IAP) entendeu em desaprovar a produção publicitária de Toscani.

O IAP entendeu que a publicidade é provocativa, ligada à intimidade sexual dos homossexuais e lesa a sensibilidade do público. Colocou, ainda, ser prejudicial aos menores que, pela incapacidade de entendimento, ficam ansiosos.

Diante da desaprovação, o IAP recomendou a substituição gradual das fotos dos outdoors.

Essa decisão já abriu toda a polêmica que a empresa de roupas masculinas desejava ao contatar o genial Oliviero Toscani. Este continua o mesmo e na fazenda onde mora e cria cavalos Appaloosa, deve estar gargalhando com a decisão do Instituto de Autodisciplina de Propaganda.

Como todos sabem, a liberdade de expressão artística e de pensamento sempre encontra, em sociedades conservadoras, a regra da proibição, que usa o vago conceito ofensa aos “bons costumes”.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet