São Paulo,  
Busca:   

 

 

Cultura

 

FASCISTAS tingem as águas da Fontana de Trevi.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

20 de outubro de 2007.

Vandalismo. A limpeza levou 4 horas.


Jogar anelina vermelha nas águas da deslumbrante Fontana de Trevi, --obra de Nicola Salvi executada entre 1732 e 1762--, foi a forma de protesto escolhida por um grupo intitulado “Ftm Azione Futuristica 2007”.

1.O PROTESTO.

Duas são as razões do estúpido protesto, conforme se pode concluir pelo teor dos panfletos espalhados.

Primeira razão. Os tais “futuristas” são contra a realização da Festa do Cinema, que reunirá em Roma os maiores nomes da cinematografia internacional e nacional.

A escolha dos vândalos recaiu na Fontana de Trevi, palco da “La Dolce Vita”, do magistral Frederico Fellini. Num protesto contra a Festa do Cinema, a Fontana de Trevi tem valor simbólico.

La Dolce Vita fou recordista de bilheterias. Mais, uma cena eternizou-se: nas águas da Fontana de Trevi, teve o mergulho noturno da atriz Anita Ekberg, sob o olhar extasiante de Marcello Mastroianni.

Parêntese inoportuno. La Dolve Vita é de 1959. E a Sociedade Esportiva Palmeiras, antigo Palestra Itália, conquistou, numa melhor de três, o super-campeonato de 1959, em cima do Santos de Pelé e &Ltda. Fecho parêntese.

Segunda razão. Os “futuristas-fascistas” quiseram protestar, também, contra o prefeito de Roma, Walter Veltrone. Há duas semanas, ele foi eleito, em convenção, presidente do novo partido político chamado Democratas (zero de afinidade e ideologia com o direitista DEM brasileiro).

Como prefeito, Veltrone pagará as despesas e comandará a Festa do Cinema. Mais ainda, Veltrone disputará, nas próximas eleições italianos, com o rocambolesco Sílvio Berlusconi. O magnata Berlusconi, ex-premier de centro-direita, notabilizou-se não só pelo desastrado governo. Também ficou conhecido como sabujo do presidente Bush: apoiou e mandou tropas para a invasão do Iraque.

No manifesto dos “futuristas”, Veltrone é chamado de Walter Magno I . E o vermelho serviu para representar o “tapete vermelho” estendido aos imperadores.

2. O SUSTO.

Um jovem de jeans, jaqueta escura, boné claro e óculos de lentes escuras tipo Lupo Liboni Lobo Liboni era o apelido do solitário anarquista Luciano Libone, morto pela repressão política de matriz fascista), rompeu um saco de plástico e verteu o líquido vermelho do seu interior nas águas da Fontana de Trevi.

Aos poucos, as águas da berniniana Fontana de Trevi (seguiu a escola deixada por Gian Lorenzo Bernine, que viveu de 1598 a 1680), adquiriu a coloração vermelha.

A praça estava lotada de turistas.

Neste começo de outono romano, os turistas de meia-idade lotam a cidade: os jovens estrangeiros já voltaram para às aulas nos seus países. A temperatura cai bastante, com o fim do verão fechado em julho.

Lógico. Os celulares dos supracitados turistas, de pronto, viraram máquinas fotográficas. E o tradicional e lendário jogar moedinha nas águas da Fontana de Trevi ficou para depois: pela lenda, aquele que, de costas, atira uma moedinha nas águas acaba voltando a Roma.

Passada a fase da euforia das fotos com aparelhos celulares, ocorreu a preocupação de contaminação ambiental.

Preocupados, os turistas “deram no pé”. Isto sem atentar aos apelos de calma de 5 guardas metropolitanos. Afinal, esses vigilantes da Fonta estavam, àquela altura, desmoralizados: não conseguiram evitar a ação do “vândalo” e nem prendê-lo.

Uma coisa é certa. As quatro câmeras de vigilância da Fontana de Trevi registram a imagem do vândalo. E muitos turistas, por e.mail, mandaram a fotografia dele para a polícia.

3.ANÁLISE DAS ÁGUAS.
Nenhum risco de dano aos mármores e às instalações da Fontana de Trevi. Os técnicos chegaram logo ao local e a análise laboratorial da água apontou para o emprego de inofensivo corante: anelina.

Os responsáveis pelo patrimônio artístico e cultural do país já estão aliviados.

Em 4 horas estava tudo limpo. A Fontana cheia. E água transparente a se agitar, com os turistas de volta.

4. A RAIVA E A NOVA LEI CRIMINAL.

O prefeito Walter Veltrone, no local, transbordou a chamada “ira santa”: - “O acontecido foi muito grave. É uma ofensa a Roma, Por sorte, sem graves conseqüências” Francesco Rutelli, ministro para os Bens e as Atividades Culturais e também vice-premier no governo Romano Prodi, declarou que fará um projeto de lei criminal, que já está sendo chamada de “lei antivândalos”.

4. PANO RÁPIDO.

Vários jornais italianos de hoje mostraram que os “futuristas 2007” apenas trocaram de nome, mas continuam fascistóides. Realizaram, anteriormente, muitos outros protestos sem nenhuma repercussão.

Desta vez, procuraram uma maneira para se mostra internacionalmente. E conseguiram, pois o fato repercutiu em todo o mundo-ocidental.

Pelo que se sabe, muitos dos “futuristas” apóiam o partido neofascista denominado Aliança Nacional. Um partido presidido por Gianfranco Fini.

Fini é aliado políico de Berlusconi. No anterior governo, foi ministro de Relações Exteriores. Até hoje defende o acerto da sua pasta e do então primeiro-ministro Berlusconi, com relação à invasão do Iraque e colocação de tropas italianos à disposição de aliança feita com Bush. Na contra-corrente, ficou, como destacou o jornal Corriere della Será de hoje, o crítico de arte Vittorio Sgarbi: “Um pouco de cor numa cidade adormecida”.

Que assustou, assustou. Mas, estúpidos e selvagens estão presentes em todas as esquinas do planeta.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet