São Paulo,  
Busca:   

 

 

Cultura

 

Tias do crime ou do PAC da Segurança Pública ?

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

19 de outubro de 2007.
Ministro da Justiça anncia o PAC da Segurança Pública.


Um desembargador amigo tinha uma invejável biblioteca jurídica. A propósito, com todas as obras lidas, ou seja, não era uma biblioteca decorativa.

Incontáveis eram as obras em alemão, francês e italiano. Línguas que ele falava e escrevia com perfeição. Dínio de Santis Garcia era o nome dele.

Gostava dos juristas portugueses até pelo lado Garcia, mas os franceses, segundo dizia, conseguiam, com base nos alemães e italianos, sintetizar doutrinas e clarear pensamentos.

Ontem lembrei dele. Por quê ?

Ele era especialista em juntar notícias espalhadas em páginas diferentes num mesmo jornal diário.

Aí, me telefonava e dizia, por exemplo: Wálter, leia a página 3 do primeiro caderno e junte depois à notícia da página 6 do terceiro caderno.

No jornal O Globo de ontem eu recortei duas notícias em espaços e páginas diferentes e as relacionei ao Programa Nacional de Segurança Pública (Pronasci), conhecido por PAC da Segurança

Apresento os textos em seqüência para as reflexões dos ilustres leitores deste modesto blog. Atenção, Não contém para o Lula e o seu ministro da Justiça, que não vão gostar.

1. Globo, página 4, edição 18/10/2007:

“Uma bolsa destinará dinheiro para jovens reservistas, outra para jovens em situação de risco, a terceira para mães líderes comunitárias.”

2. Globo, página 18, edição 18/10/2007. A Guerra do Rio. A batalha da Coréia (favela):


“Juntamente com armas e drogas, os policiais apreenderam um farto material da contabilidade do tráfico da Favela Coréia. . .
Segundo policiais, as ‘tias’ são senhoras que moram na favela, consideradas acima de qualquer suspeita. Quando um bandido é preso, elas vão às delegacias atestar que ele é trabalhador. Também fazem visitas nas penitenciárias para garantir a comunicação do criminoso com o mundo externo e podem esconder armas e drogas. Segundo as anotações, as ‘tias’ recebem R$300 para despesas como alugel”.
PANO RÁPIDO. Só para lembrar, o Pronasci está orçado em R$6,7 bilhões para distribuição em 98 programas. Um deles, para as líderes comunitárias. Tem “tia” esfregando as mãos.

Wálter Fanganiello Maierovitch.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet