São Paulo,  
Busca:   

 

 

Cultura

 

Coisa Nossa: Jader Barbalho e os lendários Perseu e Medusa. Violação constitucional contra o jornal Folha de S.Paulo.

Por Wálter F Maierovitch/Rádio CBN/Justiça e Cidadania

A Medusa, na tela de Caravaggio (1592).


.
-Para ouvir o comentário da CBN:http://radioclick.globo.com/cbn/.

No Brasil, sentir-se petrificado de espanto é comum. Como se o brasileiro tivesse trocado olhar com a lendária “Medusa”. Aquela que tinha serpentes no lugar de cabelos, como foi pintada no celebra quadro de Caravaggio, exposto na Galleria degli Uffizi, em Florença. Segundo conta a lenda, aquele que olha a Medusa vira pedra.

Durou longuíssimos 18 anos a investigação contra Jader Barbalho, num caso de desapropriação com suspeitas de superfaturamento e de desvio de dinheiro público para o bolso de Jader Barbalho.

Apenas neste mês de novembro é que teve início, -- por peculato---, o processo criminal contra Jader Barbalho. Isso com foro privilegiado e possibilidade de prescrição pela demora na solução do caso.

Rui Barbosa, na célebre Oração aos Moços, ensinou que “Justiça atrasada não é justiça, mas é injustiça qualificada e manifesta”.

A verdade é que o Sistema Penal brasileiro está falido.

No domingo (12/11/2006), o jornal O Globo analisou as 20 operações espetaculares realizadas pela polícia judiciária federal, nos últimos 4 anos.

Nessas 20 operações foram presos 785 suspeitos. Passado o tempo, apenas 40 dos suspeitos continuam na cadeia. Nenhuma condenação definitiva aconteceu até agora.

Por outro lado, um membro da polícia judiciária federal resolveu atropelar a Constituição da República.

E conseguiu quebrar, ---escudado em decisão judicial---, os sigilos telefônicos do jornal Folha de S.Paulo e de uma sua jornalista. A meta seria identificar as fontes do jornal, que a Constituição protege.

Essa grave violação constitucional foi definida pelo Ministro da Justiça como “ressaca eleitoral”. Na ditadura Vargas e na ditadura Militar, semelhantes procedimentos atendiam por outras expressões e nomes: arbítrio, totalitarismo, etc.

Na lenda, o Perseu logrou fugir do olhar direto e petrificante da Medusa usando um espelho. Assim, ele conseguiu cortar-lhe a cabeça.

No Brasil, o bravo Perseu teria tido o espelho roubado. E ao saber que levou 18 anos a investigação no caso Jader Barbalho, nem iria à delegacia de polícia para lavrar um “B.O”.

WFM-CBN-14 novembro 2006.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet