São Paulo,  
Busca:   

 

 

Cultura

 

DROGA: Kate Moss ganha o Oscar da Moda mas não vence o preconceito.

Por IBGF/WFM




OLHO.

Depois do escândalo, Kate Moss recuperou 14 contratos de publicidade. Em 2006, já faturou 40 milhões de euros.

Para críticos reacionários, a British Fashion Awards, que concede o prêmio Model of the Year, Kate Moss é um mau exemplo para as novas modelos, que podem achar normal ter uma vida embalada pela cocaína.

O certo é que prevaleceu o bom-sendo e a vida privada não contou a top-model, falendo lembrar que Kate já contou que não mais usar cocaína, depois da desintoxicação na caríssima clínica do Arizona.

.......

MATÉRIA.

No ano passado, Kate Moss na Inglaterra e Lapo Elkann na Itália protagonizaram os dois maiores escândalos de overdose de cocaína.




Lapo, herdeiro do Império da Fiat, foi salvo em 9 de outubro de 2005 por um travesti seu amigo. Na casa do travesti, Lapo abusou no uso de cocaína e, em coma, foi levado a um hospital de Milão. Depois da alta hospitalar, rumou para o deserto do Arizona, nama famosa e cara clínica para desintoxição de dependentes químicos. Na mesma época, Kate Moss, a top model britânica de sucesso, foi mostrada em fotografia publicada na Daily Mirror cheirando cocaína com o namorado Pete Doherty, um músico sempre envolvido com a políca por causa de drogas.

As empresas que mantinham contrato de publicidade com Kate resolveram, diante do escândalo de final do ano de 2005, rescindi-los. A top-model e o namorado, então, rumaram para o deserto do Arizona, para se tratar na caríssima clínica onde estava Lapo Elkann, o herdeiro do Império Fiat (Fábrica Italiana de Automóveis Torino).
Lapo Elkann.



Passados poucos meses, Kate e Lapo voltaram aos seus países e reiniciaram os trabalhos.

Kate, acaba de vender o concurso da Model of the Year. E mantém milionários 14 contratos de publicidade. Em 2006 (até novembro), apesar da cocaína e da internação, faturou 40 milhões de euros.. Continua com o namorado, músico de duvidoso talento e muitas ocorrências policiais.

Pelo que consta, não mais usa drogas proibidas. Apesar disso, muitos críticos acharam que ela não deveria ter ganho o “Oscar da Moda Britânica”. A editora da revista Now, Jane Ennis, afirmou, por exemplo, que a vida dissoluta da modelo, todos os dias no rock and roll e muitas na cocaína, representa um mau-exemplo para as modelos que estão começando.

Pelo jeito, Kate Moss ainda vai ter de conviver com o preconceito, apesar de não estar mais usando drogas, sendo afirma.

Os críticos irônicos falam que para o mundo da moda, apenas interessa o corpo de Moss. Enquanto não virar bagulho, não interessa a sua vida e os seus vícios.

IBGF, 13 de novembro de 2006.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet