São Paulo,  
Busca:   

 

 

Espiões/D.Humanos

 

CRIME ORGANIZADO e política. Situação em Rondônia.

Por IBGF/WFM



Diocese de Ji-Paraná.

Ji-Paraná, setembro de 2006.

Caros irmãos e Caras Irmãs na fé e caminhada da Igreja,

Hoje chego até vocês para um assunto que precisa ser esclarecido. Mesmo que minha carta seja um pouco longa, escute-a até o final, pois é através das comunidades e pequenos meios de comunicação que temos espaço para falar, pois a grande mídia somente escuta um lado e aumenta muitas coisas.

Como já é de conhecimento de muitos, a Diocese de Ji-Paraná, a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, o Projeto Padre Ezequiel, o Fórum Transparência Ji-Paraná, a Cáritas Diocesana e o Conselho de Leigos confeccionaram e divulgaram um cartaz com a fotografia de 23 parlamentares do legislativo de Rondônia envolvidos em corrupção, propinas e outras falcatruas.

Também consta a foto do Governador Ivo Cassol pelo fato de que ele está sendo processado no Superior Tribunal de Justiça (STJ) como provaremos a seguir: Inquérito 450, registrado no STJ com o n° 2004/0129980, investigado por envolvimento na extração ilegal de Diamantes e contrabando, na reserva Roosevelt; Ação Penal n° 401, registrado no STJ com o n° 2004/0071386 sob a acusação de fraude em licitação, desvio de dinheiro público e formação de quadrilha ou bando, sem falar na petição do Ministério Público Federal, n° 2528 de 2004, que foi arquivada, mas que investigava sobre a informação do Governador que disse que iria mandar invadir as 48 unidades de conservação do Estado, inclusive as reservas federais e que o STJ anexou tal ação ao Inquérito 450, que tramita no mesmo Tribunal.

Todos estes fatos, tanto dos parlamentares, como do chefe do executivo, foram amplamente divulgados pela imprensa estadual e nacional.

O governador sentindo-se ofendido, no dia 24 de agosto, ajuizou uma ação junto ao Tribunal Regional Eleitoral acusando somente o Bispo Dom Antonio, como pessoa física, de praticar os crimes de Difamação e Injúria. Nesta ação solicitou a retirada dos cartazes, bem como condenar o bispo pelos crimes de Difamação e Injúria. Como para algumas situações a justiça é rápida, no dia 25 de agosto a Juíza Sandra Maria Nascimento de Souza, despachou determinando que o bispo recolhesse todos os cartazes, sob pena de multa de (cinco mil reais) R$ 5.000,00 por dia.

No mesmo final de semana a assessoria jurídica da diocese tomou os procedimentos jurídicos cabíveis e apresentou contestação dia 28 de agosto. O ministério Público Eleitoral já se pronunciou no processo, pedindo a improcedência da ação, bem como a cassação da liminar. Ocorre que desde 28 de agosto até a presente data (tarde de 01/09) não houve nenhuma outra manifestação da juíza. Em síntese: o processo paralisou.

Ainda no dia 28 articulou-se uma reunião com os que assinaram o cartaz e em seguida uma coletiva com a imprensa de Ji-Paraná para esclarecer os fatos. Para surpresa de todos nessa mesma tarde, em plena coletiva com a imprensa, pelas 15 horas, o Governador, acompanhado por um grupos de seguranças e “assessores”, sem ter agendado a visita, adentrou na sala onde o bispo estava reunido com a comissão responsável pelo cartaz e com representantes da imprensa. Numa atitude, no mínimo desrespeitosa e arrogante interpelou o bispo tachando-o de responsável único por tal cartaz.

Com sua arrogância ofendeu os membros da comissão, proclamou repetidamente seu comportamento ético, elencou os méritos por ter denunciado a corrupção existente na Assembléia Legislativa e outros méritos pessoais.

O bispo exigiu dele um espaço para também falar e mostrou que de fato ele não é tão inocente como se proclama, que tem uma vida anterior que o desabona.

Ao se retirar ameaçou processar também as demais entidades que subscreveram o cartaz a menos que sua fotografia fosse retirada do mesmo, o que não foi aceito.

Ao longo desta semana ele foi publicando através de jornais e da internet sua versão, falsa, mentirosa e repleta de calúnias contra nossa Igreja Católica e contra os demais que construíram o cartaz . Está ameaçando publicar, através de panfletagem, divulgando em todo o estado “os pecados” da Igreja.

Serão os de sempre, que vocês bem conhecem. E como uma pessoa destas não tem moral, pode-se esperar o pior. Estejamos preparados. Para completar a listas de ameaças, na manhã de sexta feira (01/09) chegou na cúria diocesana uma carta com declarada ameaça de morte.

Eis uma parte da carta “Os próximos dias serão decisivos. Se quer virar um santo é só continuar agindo assim. O pior pode acontecer, com você e outros irmãos que o acompanham nesta trajetória suicida. Lembre-se, que por muito menos, alguns religiosos foram assassinados”. E assim vai a carta ameaçadora.

Não estamos acusando ninguém pela autoria da carta. Estamos apenas divulgando o que estamos recebendo e repudiando este tipo de comportamento, pois “carta anônima é a arma dos covardes”.

Diante dessas ameaças, faço-lhes esta carta, provida de mais detalhes. Peço-lhes que no próximo sábado e domingo, em todas as missas seja lida e comentada.

Se possível seja feito cópia e enviada também a outras comunidades. Seja também lida nos programas de rádio. Na hora da calúnia é dever de quem a ama sair em defesa da nossa Igreja e da verdade. Omitir-se e ficar em silêncio numa hora de tanta injustiça e corrupção é renegar nossa missão de profetas do Reino de Deus. Lembrem-se que as vítimas de tanta corrupção são sempre os mais pobres.

A Presidência nacional da CNBB enviou uma mensagem de solidariedade. Nela confirmou nosso papel diante da política. Entre outras coisas afirma o que sempre fizemos nesta diocese: “Sua posição em favor da “ética na política” e contra a corrupção tem todo o apoio da CNBB e está de acordo com o Documento “Orientações para as eleições de 2006” da CNBB.

A posição firme da Igreja, através de muitas iniciativas, está despertando preocupações naqueles que têm a temer. Isso é bom. A sociedade começa a fazer melhor seu papel no processo político”

Agradeço todo seu apoio Que Deus a todos abençoe.

D. Antonio Possamai.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet