São Paulo,  
Busca:   

 

 

Espiões/D.Humanos

 

SEXO: Patrulha de Maria. Repressão ao sexo e restauração dos bons costumes.

Por IBGF/WFM

Olho:
Elas gostam de ser chamadas de integrantes da " Patrulha de Maria". Proclamam a "Guerra Santa" contra o sexo. As integrantes da Patrulha usam véus e se definem como combatentes da moralidade e contrárias de hábitos ruinosos como sexo, jogo, bebida alcóolica, etc.

Disque Denúncia ajuda à patrulha fanática.


Matéria:

Na Cashimira, do lado de domínio administrativo e influência da Índia, as mulheres da Patrulha de Maria são muito temitadas. E os jornais da Cashimira não escondem o apoio e informam sobra as "blitz".
A sede da Patrulha é em Srinagar, uma cidade sob controle administrativo do governo da Índia e que fica na divisão com o Paquistão. A ordem é "Guerra Santa" contra as "casas dos prazeres", o sexo, álcool, jogos e tudo que leva à decadência dos costumes recomendados pela religião. O que mais se ouve é a palavra "perdidas".

Essa Patrulha de Maria é composta apenas por mulhere, que usam permanentemente véus.

A Patrulha de Maria está ligada ao grupo saparatista islâmico Dukhtaran-e-Millat, que traduzindo quer dizer "Filhos da Fé". O grupo separatista, de matriz fundamentalista islâmica, nasceu nos anos 80 e já foi declarado ilegal pelo governo da Índia.

Nas rondas, as patrulheiras perseguem e impõem castigos físicos às prostitutas. Alegam que a maior praga da Cashimira é a prostituição, que ofende a fé corânica.

A prisão da líder do movimento, chamada Aasya Andrabi, apenas ocasionou a intensificação das rondas da tal Patrulha de Maria. Na verdade, está formado um grupo paramilitar, fanatizado e que se auto-proclama defensor da ética e dos bons-costumes na Cashimira.

As patrulheiras instalaram um "Disque Denúncia" para receber delações a respeito de funcionamento de casas de prostituição e de mulheres que recebem homens, fora do casamento e em suas residências. Várias invasões e depredações estão ocorrendo na Cshimira, em face do passado pelo "Disque Denúncia".

A última casa destruída foi em Sonwar, na zona geográfica de Srinagar. Como regra, a chegada da Patrulha espanta os homens, que fogem quase sempre pelados. Ficam as mulheres, que são espancadas.

Nessas incursões, a Patrulha tem encontrado crianças se prostituindo. Num jornal local, a patrulheira líder, que se encontra presa,, declarou: " Já encontramos teenagers, de ambos os sexos, em restaurantes. Demos um primeiro aviso às famílias por telefone, pois restaurantes não são lugares para crianças".
Patrulha de Maria.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet