São Paulo,  
Busca:   

 

 

Espiões/D.Humanos

 

Lavadores de Vidros de Automóveis. Não há crime. Prefeito de Florença reage.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

12 de setembro de 2007.
Florença.


Lavadores de Vidros de Automóveis.
ROMA. O prefeito de Florença, Leonardo Domenici, sofreu uma primeira derrota. Isto depois de ter expedido, com aval dos “vereadores”, ordem para prisão em flagrantes, com cominação de multa, de lavadores de pára-brisas de automóveis nas ruas.

O chefe do ministério público de Florença pediu o arquivamente, pela inexistência de crime , dos 15 lavadores de pára-brisas presos em flagrante delito e com baldes e escovões seqüestrados.

Não tipifica nenhum crime a conduta de se oferecer a lavar vidro em ruas, frisou o procurador-chefe de Florença. Antes, o chefe do minsitério público de Florença teve a cautela de consultar a polícia, -- cujos agentes realizaram as 15 prisões--, se havia ocorrido algum caso de extorsão (racket) ou ameaça por parte dos lavadores de pára-brisas. Com a resposta negativa, o procurador pediu ao juiz de instrução preliminar (gip) o arquivamento do procedimento instaurado com auto de prisão em flagrante e a imediata entrega dos materiais apreendidos (baldes e escovões).
Querer levar uma infração administrativa, com base em ato referendado pelos “vereadores”, para o campo criminal foi uma maneira equivocada, -- e até abusiva--, do prefeito de Florença. Infração penal haveria no caso de o lavador ameaçar, ofender a honra, agredir fisicamente, causar dano material ou partir para a extorsão. Fora disso, não adianta forçar a mão e sair a falar em “tutela da incolumidade dos cidadãos” como fez o prefeito Leonardo Domenici.

Procurado por jornalistas, o prefeiro Domenici admitiu que vai preparar uma segunda ordenança (postura) a fim de proteger os cidadãos contra “lavadores violentos” existentes em Florença.

Interessado em manter espaço na mídia, Domenici fala em mudanças e em lavadores violentos, caso em que qualquer cidadão poderá pedir auxílio policial. Se o juiz para instrução preliminar aceitar o pedido de arquivamento, os 15 imigrantes romenos presos em flagrante (foram soltos depois de recolhimento de fiança), poderão voltar às ruas e ter a devolução de baldes e escovas apreendidos. Wálter Fanagniello Maierovitch.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet